Brasil gerou quase meio milhão de empregos formais em 2014

Pelo levantamento, somente em abril foram criados 105.384 empregos com carteira assinada. Houve 1.862.515 admissões contra 1.757.131 demissões

Entre os meses de janeiro e abril deste ano, o País registrou a criação de 458.145 novos postos formais de trabalho. Os números são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) nesta quarta-feira (21).

“O País vem mantendo um nível positivo na geração de empregos e não há nenhum indicativo de que essa tendência se reverta nos próximos meses, principalmente em maio e junho quando será realizada a Copa do Mundo”, afirmou o ministro da pasta, Manoel Dias.

Pelo levantamento, somente em abril foram criados 105.384 empregos com carteira assinada. Houve 1.862.515 admissões contra 1.757.131 demissões. Apesar do resultado se manter positivo, o saldo é menor que o constatado em períodos anteriores.

“Uma das razões para a queda no saldo, que continua positivo, é o fato de o País se encontrar em situação de pleno emprego”, afirmou o ministro Manoel Dias.

Além disso, explicam a desaceleração, segundo Dias, o aumento real do salário, de mais de 70% desde o primeiro trimestre de 2003, e o aumento de 45,99% no salário de admissão dos trabalhadores.

Áreas
Dos oito setores analisados no Caged, sete elevaram o contingente de assalariados com carteira assinada.

O setor de serviços foi o que mais contratou, com 68.876 novos postos, seguido do comércio (16.569), da agricultura (14.052), construção civil (4.317), administração pública (3.487), dos serviços industriais de utilidade pública (1.040) e da indústria extrativa mineral (470).

“O único que registrou declínio foi o da indústria da transformação, com uma perda de 3.427 postos, na comparação com o mês anterior”, explicou.


© Copyright 2020 | Pré-candidato a vereador por Contagem.