24 de março de 2014

Regularização da carga horária dos profissionais da saúde

Iniciativa visa principalmente àqueles que atendem urgências e emergências médicas, inclusive os profissionais do resgate e transporte de doentes e acidentados que dedicam suas vidas para salvar a vida dos outros

Para que o rendimento dos trabalhadores da área de saúde não seja prejudicado por doenças relacionadas ao stress, o vereador Obelino Marques (PT) se antecipou e enviou uma indicação ao prefeito de Contagem solicitando a alteração da carga horária desses profissionais. A iniciativa visa principalmente àqueles que atendem urgências e emergências médicas, inclusive os profissionais do resgate e transporte de doentes e acidentados que dedicam suas vidas para salvar a vida dos outros.

Segundo o texto, a carga horária dos empregados, funcionários e servidores públicos em unidade de Atendimento de Urgência e Emergência não poderá exceder 36 horas semanais, bem como altera para seis horas diárias a carga horária dos enfermeiros do município. A indicação estipula ainda um intervalo de repouso de 60 minutos, não computados na duração da jornada de trabalho, e a ampliação dos dias de férias desses trabalhadores.

De acordo com Obelino, o profissional da área da saúde desenvolve um trabalho que se caracteriza pela necessidade de concentração, dedicação e doação do trabalhador. "Essas características têm reflexos importantes sobre a saúde e o bem-estar dos trabalhadores que se dedicam a ele, de tal forma que são mais frequentes entre eles o desgaste físico e mental, as doenças cardiovasculares como infarto agudo do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais, distúrbio do sono, síndrome de Burnout, depressão, etilismo e outras doenças provocadas pelo trabalho estressante, bem como o abandono da ocupação por outra menos penosa, com prejuízo para nossos serviços básicos, de urgência e emergência, uma vez que são profissionais que necessitam ser diferencialmente treinados e mantidos atualizados", argumentou.