12 de maio de 2014

Legado que a Copa deixará para o Brasil

Governo federal e investidores construíram uma base sólida que já beneficia toda a população e continuará servindo após o evento

Engana-se quem acha que a Copa do Mundo se resume aos pouco mais de um mês de duração do campeonato. O governo federal e investidores construíram uma base sólida que já beneficia toda a população e continuará servindo após o evento. São melhorias em mobilidade urbana, aeroportos, segurança, telecomunicações e turismo, além de políticas públicas, de energia, qualificação profissional e hotelaria.

O governo investiu mais de R$ 8 bilhões em obras de mobilidade urbana com prioridade para o transporte coletivo. São mais de 45  corredores, vias para ônibus, estações, terminais e centrais de controle de tráfego, além dos BRTs (Bus Rapid Transport) e VLTs (Veículo Leve sobre Trilhos).

O Norte e o Nordeste foram os grandes beneficiados com a modernização de seus portos. Com investimento de R$ 587 milhões, os terminais de Fortaleza (CE), Natal (RN), Manaus (AM), Recife (PE) e Salvador (BA) receberam significativas melhorias

Conforme compromisso assumido pelo governo, as 12 cidades-sede já contam com tecnologia móvel 4G e o serviço de telecomunicações foi modernizado em boa parte do País.

Na segurança, foram investidos R$ 1,9 bilhão  no controle de pontos de entrada, na integração de instituições e sistemas, nas ações de contingência e de defesa para o Mundial e para o território nacional.

Esse é, talvez, um dos maiores legados deixados pela Copa, a modernização da infraestrutura, como os 14 Centros Integrados de Comando e Controle (dois nacionais e 12 regionais).

Os aeroportos de Brasília (DF), de Campinas (SP), de Guarulhos (SP), de São Gonçalo do Amarante (RN), Galeão (RJ) e Confins (MG) tiveram parte de suas gestões transmitidas à iniciativa privada, por meio de concessões.

O governo investiu, ainda, 6,28 bilhões na infraestrutura aeroportuária em terminais de passageiros, pistas e pátios; e adequações operacionais. Todos os empreendimentos aumentaram a capacidade de recepção de passageiros durante a Copa em 80%.

Todos esses benefícios foram realizados com investimentos federais, locais e privados. Nada foi retirado de áreas como saúde, educação ou segurança pública.

Com a Copa do Mundo todos saem ganhando e para comprovar isso, basta acompanhar tudo o que é investido em http://bit.ly/MKEv3f.