6 de maio de 2014

Bolsa Família teve aumento real de 44% no governo Dilma

Com isso, o valor médio do benefício das famílias em situação de extrema pobreza sobe de R$ 216 para R$ 242. Já o benefício médio do conjunto de beneficiários do Bolsa Família passará de R$ 150 para R$ 167

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, respondeu às críticas desferidas pelos pré-candidatos à Presidência Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) sobre o reajuste de 10% anunciado pela presidenta Dilma Rousseff para o Bolsa Família que passou de R$ 70 para R$ 77.

Ela afirmou que o aumento reflete a evolução do programa e ressaltou que as críticas são infundadas e têm caráter eleitoreiro.

“É um questionamento de pessoas que querem se aproveitar do ambiente eleitoral para impedir que o governo continue numa trajetória de beneficiar a população pobre”, afirmou a ministra. “E isso nós não vamos aceitar”.

Tereza explicou que o reajuste no benefício é baseado na paridade do poder de compra do dólar e que este critério de atualização é o mesmo que a Organização das Nações Unidas usa para os Objetivos do Desenvolvimento do Milênio: US$ 1,25 ao dia, por pessoa. O valor foi atualizado pela paridade do poder de compra (leia aqui).

Reajuste Real – Com isso, o valor médio do benefício das famílias em situação de extrema pobreza sobe de R$ 216 para R$ 242. Já o benefício médio do conjunto de beneficiários do Bolsa Família passará de R$ 150 para R$ 167.

O programa atende 14 milhões de famílias, num total de aproximadamente 50 milhões de pessoas.

Cerca de 36 milhões de pessoas se manterão fora da situação de extrema pobreza em com essa renda.

“Esta é a sexta medida com impacto no valor do benefício do Bolsa Família em três anos e meio. O valor médio pago aos beneficiários do programa, somando o valor total e dividindo pelas famílias, passou de R$ 94, no início de 2011, para R$ 167, que será pago neste mês de junho”, explicou Tereza .